maio furta-cor saude-mental-materna

Maio Furta-Cor: A Importância Da Sensibilização Acerca Da Saúde Mental Materna

Entre tantas cores dedicadas ao mês de maio, tais como amarelo, roxo e laranja, você já ouviu falar sobre o maio furta-cor? Provavelmente não. Maio furta-cor é uma campanha fundada em 2021, sem fins lucrativos, com objetivo de sensibilizar acerca da saúde mental materna.

Para falar sobre este assunto, nós convidamos a Leidiane Brandão (CRP-01/18486), que é psicóloga hospitalar e clínica aqui do Hospital Anchieta. Ela relatou a percepção nítida dela sobre a importância da rede de apoio nos momentos de hospitalização, inclusive na maternidade. A maternidade em si gera muita preocupação, e um contexto de adoecimento, seja da gestante ou da própria criança, pode ocasionar sofrimento intenso para a mulher. Não é incomum que médicos prescrevam psicofármacos para auxiliar as mães a lidarem com estes momentos, até mesmo quando ocorre a alta hospitalar.

É sobre a saúde mental materna e a camapanha do Maio Furta-Cor que iremos falar nesta matéria.

Seguir um padrão estabelecido pela sociedade é o mais saudável?

Ao contrário do que muitos pensam e dizem, a mulher não nasce pronta para assumir a maternidade. Fácil seria se fosse apenas engravidar, viver momentos felizes e tranquilos durante a gestação e quando chegasse ao fim dos nove meses, você está completamente pronta para ser mãe.

Uma das características intrínsecas a maternidade é a solidão. Tal afirmação gera inúmeros questionamentos, no entanto desde sempre, a responsabilidade sobre os cuidados com o filho é da mulher, sendo que estes cuidados incluem desde a amamentação até cuidar da organização do ambiente doméstico, gerando sobrecarga de afazeres.

Ser mulher hoje é ter o dom da multifuncionalidade, com o maior nível de produtividade possível em todos os âmbitos da vida. A melhor esposa, a melhor dona de casa, a melhor profissional e a melhor mãe. Afinal, se a criança se apresenta de maneira birrenta, a culpa é da mãe. Se o filho sai de casa com a roupa suja, é a mãe quem deveria ter prestado atenção. Se a criança está fazendo bagunça, logo surge a pergunta “quem é a mãe dessa criança?”. A culpa sempre é da mãe!

Precisamos falar sobre a saúde mental materna!

Os cuidados com a criança, bem como a educação é uma responsabilidade que cabe a todos, não somente à mulher. A gestação não é romântica como os ensaios fotográficos mostram, e a dor não se manifesta somente no momento do parto. Mulheres se deparam com a frustração das idealizações criadas a respeito da maternidade mesmo durante a gravidez, e é também neste momento que os conselhos e as opiniões sobre gestação e criação de filhos surgem por todos os lados. “Você precisa comer melhor, você precisa cuidar mais da sua saúde, você precisa ter mais cuidado agora, você precisa comprar isso, você precisa evitar aquilo, você precisa amamentar mesmo sentindo dor… você precisa… você precisa… você precisa”.

Os nove meses de gestação apresentam suas dificuldades, e o puerpério não é diferente. É tudo novo, podendo ser um momento difícil e estressante! A novidade que envolve este momento não é exclusiva das mães de primeira viagem, cada bebê se comporta a sua própria maneira. Mesmo com tantos outros filhos, a maternidade sempre traz novidades, pois aquela criança específica tem muito a ensinar.

E quando chega o dia do nascimento, vem junto a necessidade em ser a mãe perfeita, em não errar, em amar incondicionalmente, e o foco nesse momento é somente proporcionar o melhor para o bebê.

A mãe também precisa de cuidados

A mãe, muitas vezes, não consegue descansar, está sentindo dor para amamentar, se sentindo culpada por estar cansada, e confusa por não conseguir ainda distinguir cada um dos choros de seu filho. Ou seja, uma mulher que necessita ser vista de maneira mais gentil por todos ao seu redor.

As mulheres têm gritado por socorro através da ansiedade, depressão, e até mesmo do suicídio. A pandemia trouxe consigo um cenário no qual as mães precisam cuidar dos filhos durante 24 horas, devido ao isolamento, e muitas das vezes não contam com qualquer rede de apoio. Isto tem gerado conflitos emocionais, onde prevalecem a exaustão, sentimento de culpa, tristeza, e tantos outros sentimentos. Uma entrevista publicada pela BBC News, em agosto de 2020, aponta que as mães estão em seus limites, e necessitam de suporte psicológico urgente.

Maio Furta-Cor

O maio furta-cor foi criado com o objetivo de sensibilizar a população a olhar com mais carinho para todas as mães, que estão neste exato momento se desdobrando em muitas versões, simultaneamente, para cumprir com todos os papéis que lhe foram designados para serem realizados com perfeição.

Você já perguntou a alguma mãe hoje se tem algo que você poderia fazer para auxiliá-la? Um olhar carinhoso, uma palavra de admiração, um abraço, uma escuta ativa, e a sua disponibilização para ajudar são atitudes simples que podem proporcionar um pouco de alívio diante de tanta sobrecarga que a maternidade gera.

As idealizadoras desta campanha, a psicóloga Nicole Cristino e a psiquiatra Patrícia Piper, explicam que a escolha pelo furta-cor se deve ao fato que esta é uma cor cuja tonalidade se altera de acordo com a luz que recebe, adequando todas as cores. A maternidade também é assim, nela cabem todas as cores, e não somente uma única cor.

Reflita sobre todos os fatores que contribuem para o sofrimento mental materno, e se pergunte o que podemos fazer para que toda essa dor se transforme em afeto, cuidado, apoio, descanso, amor, e validação de todos os sentimentos que são motivados pela maternidade.

Saúde da Mulher em Cada Fase da Vida

tudo-que-uma-mulher-precisa-saber-sobre-cancer-de-mamaCuidar da própria saúde é algo extremamente importante. É comum, após se tornar mãe, a mulher deixar a sua saúde em segundo plano. Entretanto, o cuidado deve ser diário em todas as fases da vida. A idade avançada é sinal de alerta para muitas doenças. O câncer de mama, por exemplo, é relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta idade sua incidência cresce progressivamente, especialmente após os 50 anos.

O câncer de mama é o segundo tipo de câncer que mais atinge as mulheres e 95% dos casos podem ser prevenidos com mamografia e diagnóstico precoce. Nós explicamos mais sobre o Câncer de Mama e as formas de prevenção em nosso e-book especial de Outubro Rosa que você pode baixá-lo clicando aqui.

Se você quer saber mais sobre como cuidar da sua saúde, nós temos um conteúdo exclusivo: Saúde da Mulher: Principais Exames para cada Fase da Vida, você pode baixá-lo gratuitamente, clicando aqui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário