Hernia da parede abdominal

Hérnia da Parede Abdominal: o que você precisa saber

A hérnia da parede abdominal uma doença muito comum, apesar de muita gente desconhecer o que ela é de fato. Existem vários tipos de hérnias, sendo a hérnia de disco (pode ser a hérnia mais comum, mas não é da nossa área – prefiro citar a hernia umbilicalou inguinal) a mais famosa delas.

 

A hérnia  ocorre quando um órgão desloca através de defeito na aponeurose ou no músculo e acaba por criar uma saliência por baixo da pele, algo parecido com um grande caroço. Ela aparece porque o órgão faz pressão através de uma abertura na aponeurose ou do  músculo que não deveria existir,  e assim  este não realiza sua função de manter as estruturas no lugar.

A maior parte das hérnias ocorrem na região do abdome e virilhas, mas apesar de não ameaçar a vida, elas só podem ser resolvidas com cirurgia.

Quais os sinais e sintomas que aparecem quando ocorre uma hérnia?

 O sinal mais frequente de que possa existir uma hérnia é o aparecimento de um “caroço” (uma elevação ou abaulamento) na área afetada. Assim, pode-se observar uma protuberância na região inguinal, quando a hérnia se localiza na virilha, na região epigástrica ou no umbigo, principalmente ao realizar esforços.

 Muitas vezes, as hérnias podem se tornar mais visíveis após esforços que aumentem a pressão dentro do abdome. Por outro lado, as hérnias tendem desaparecer quando se encontram em repouso, por exemplo ao se deitar. É comum sentir dor ao tocar no “caroço”, mas não acontece em todos os casos.

O que causa as hérnias da parede abdominal?

Uma combinação de fatores pode levar ao aparecimento da hérnia da parede abdominal.

A fraqueza do tecido chamado aponeurose (camada branca que fica em cima dos músculos) e o excesso de esforço físico podem levar ao aparecimento de herniações. Às vezes, a evolução pode ser lenta e levar anos até o aparecimento.

O avançar da idade, doenças do colágeno, lesões causadas por cirurgia, tabagismo, tosse crônica, exercícios como levantamento de pesos, gravidez, obesidade, diabetes mal controlado, problemas urinários como prostatismo, são fatores que podem predispor ao aparecimento da hérnia abdominal. Outros fatores como constipação intestinal, prematuridade, histórico familiar de hérnia e fibrose cística também podem estar relacionados ao aparecimento das hérnias.

Como diagnosticar uma hérnia?

Na grande maioria das vezes, o exame físico durante uma consulta médica é suficiente. Durante essa avaliação, o médico pode pedir para que fique em pé e realize manobras que aumentem a pressão em sua barriga para que a hérnia apareça.

Nessa consulta, o médico poderá perguntar se você possui algum dos fatores de risco para hérnias. Em alguns casos, ele solicitará um exame de imagem como uma ultrassonografia de parede abdominal (USG de abdome não mostra parede) ou tomografia de abdome para avaliar se há mais de uma hérnia, qual o tamanho do defeito da parede abdominal e analisar outras estruturas.

Lembre-se de perguntar tudo ao médico, tire todas as dúvidas que tiver. É muito importante que você saia da consulta esclarecido sobre a situação e o tratamento que se iniciará.

E se você possui uma hérnia, como tratá-la?

 Por se tratar de um problema físico da anatomia, não existem medicações capazes de cicatrizar uma hérnia. Dessa forma, a única alternativa é a cirurgia.

 O tempo para realizar essa cirurgia pode variar. Porém, aqui vale a regra de quanto antes melhor. Adiar demais a correção cirúrgica, pode levar a aumento da hérnia ou ao encarceramento (aprisionamento de algum órgão no orifício da hérnia).

 Para realizar a cirurgia, é necessária a avaliação pré-operatória e para alguns pacientes uma avaliação de risco cardíaco. A cirurgia é feita por um cirurgião geral, especializado em aparelho digestivo.

1 comentário

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário