Fibromialgia: conheça 5 formas de identificar a doença

Fibromialgia: conheça 5 formas de identificar a doença

Você já sentiu uma dor generalizada, por todo corpo? Isso pode ser fibromialgia. A prevalência da fibromialgia no Brasil é em torno de 2-3% da população ou seja cerca de 5 milhões de pessoas e ela é caracterizada por um quadro de dor generalizada associada a outros sintomas como fadiga, insônia, humor depressivo e até quadros mais graves de depressão. A dor às vezes é tão intensa, que pode afetar de forma significativa a qualidade de vida dos pacientes portadores da fibromialgia.

A fibromialgia é mais comum em mulheres, a proporção é de aproximadamente 1 homem para cada 9 mulheres. O diagnóstico da doença não é simples e o preconceito e desconhecimento da população costumam atrasar ainda mais a investigação. Por isso, vamos falar um pouquinho mais sobre a fibromialgia e a importância do diagnóstico precoce. 

Existem formas de identificar a doença, assim como tratamentos para amenizar os sintomas e melhorar a qualidade de vida das pessoas.

A fibromialgia atrapalha muito o dia a dia das pessoas, sendo considerada uma doença com grande impacto na rotina. A fibromialgia tem sua origem  ainda desconhecida porém a causa mais provável seria secundária a uma anomalia na interpretação da dor pelo sistema nervoso central. 

Como suspeitar da fibromialgia?

As dores generalizadas que duram mais de três meses são os primeiros sintomas  da doença e deve ser encarados como um sinal de alerta para uma avaliação médica. Os pacientes normalmente sentem fortes dores em todo o corpo e articulações, de maneira frequente associado a um cansaço, sono não reparador e alterações no humor.

Outros sintomas comuns são cansaço excessivo, fadiga e distúrbios do sono. Então, se além das dores, você também está frequentemente sem energia, com sensação de cansaço durante todo o dia e dificuldade para dormir ou excesso de sono, nós aconselhamos que você procure um profissional. 

A fibromialgia atrapalha a realização de tarefas diárias, mesmo as mais simples, o que pode desenvolver um quadro depressivo. 

Os pontos de dores da fibromialgia

A fibromialgia, como falamos, é uma dor crônica e ela, normalmente, surge em um determinado ponto do corpo e pode migrar para outras áreas. São 18 pontos de dor em todo o corpo, sendo 9 em cada lado.

Os pontos de dor são localizados na coluna vertical e torácica, bacia, nádegas, cotovelos e joelhos. A dor pode aparecer em um único ponto, em episódios alternados, ou simultaneamente. Não existe uma regra clara para o estabelecimento da dor. 

A identificação dos pontos de dor pode contribuir para o diagnóstico precoce da fibromialgia. 

Sensação de cansaço e fadiga rotineira

A sensação de cansaço, falta de energia que parecem que não importa o quanto durma, nunca passa são sinais de alerta. A fibromialgia é uma doença crônica, que deve ser tratada através de exercícios físicos, psicoterapia e medicação.

As dores podem levar a um quadro depressivo

A depressão associada às dores crônicas é uma outra forma de identificar a doença. As dores são incapacitantes, impedindo a pessoa de desenvolver atividades rotineiras. Esse cenário de incapacitação pode gerar um quadro depressivo que também precisa ser tratado com especialista. 

A baixa produção de serotonina pode ter relação com quadro depressivo. A serotonina é o hormônio responsável pela sensação de felicidade do nosso corpo e ele é essencial para o tratamento. Além disso, a prática regular de atividade física também é recomendada, pois ela aumenta a disposição e melhora a qualidade de vida do paciente.

Procure um médico o quanto antes!

O diagnóstico da fibromialgia é realizado baseado nos sintomas e no exame físico do paciente, não existe nenhum exame nem de laboratório nem de imagem que confirme a doença. O diagnóstico precoce  é essencial para iniciar o tratamento. Nele, são avaliadas as estruturas dos ligamentos, músculos e ossos. A quantidade de pontos de dor diferem entre os pacientes, como já explicamos.

Existe uma discussão acerca de quantos pontos indicam um quadro de fibromialgia, mas o mais aceito é diagnosticar a doença entre 9 e 11 pontos. Mas, independentemente de quantos pontos de dor sejam identificados, toda dor recorrente deve ser motivo para procurar um médico de preferência um especialista em tratamento de dores.

Lembre-se: a dor é um alerta do seu corpo para você. Não ignore esse chamado do corpo, principalmente se acontecer mais de uma vez ou for constante.

Agora, se sua dor é referente a algum movimento repetitivo, como dor no pulso em quem passa o dia digitando, desenhando ou pintando, ou dores nas costas ou membros em quem carrega peso, pode ser um quadro de LER. Se quiser saber mais sobre este assunto, leia nosso artigo LER: Principais Sintomas e Tratamentos.

Se você estiver sentindo dores regulares sem motivo claro e quer se consultar com um médico, agende seu horário direto pelo nosso site. Clique aqui e agende.

3 Comentários

  1. As vezes sinto dores nos pés, sensação muito ruim, as vezes nos 2, as vezes só em 1. Sinto dores tbm no quadril ,as vezes no esquerdo ,outra no direito; próximo dos olhos, joelhos .Preciso investigar.

  2. Boa noite ,sinto dores em região dos cotovelos e joelhos,já realizei o exame de descentrometria óssea,não acusou nada.e as dores continua.Sou sescentaria não nego,sou diabética,enquanto vez picos de hipertensão, sinvastatina faço uso,enfim já estou na menopausa,tenho uma tosse que me perturba.tenho refluxos em MMII.TENHINQUE FAZER UM TRATAMENTO COMPLETO,JA TIVE COMPLICAÇÕES RENAL,RETIREI CÁLCULOS TAMANHO SIGNIFICATIVO.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário