Após o AVC

Quais cuidados devo ter após um AVC?

Após a alta hospitalar, muitos pacientes apresentam dúvidas sobre como se alimentar, se movimentar e quais as atividades mais recomendadas. Durante a alta hospitalar é importante que o paciente com AVC e a família tire todas as dúvidas com a equipe assistente, principalmente em relação as medicações propostas, tratamentos instituídos, acompanhamentos médicos posteriores e equipe multiprofissional necessária.

Nesta matéria, daremos algumas dicas sobre alguns assuntos importantes, porém ela não substitui o acompanhamento com o profissional indicado.

Alimentação – uma aliada na prevenção de AVC

A dietoterapia destaca-se como uma das diretrizes na prevenção da doença vascular encefálica, através do manejo e tratamento dos fatores de risco.

O consumo consciente, principalmente, de alimentos anti-inflamatórios aumentam a capacidade de liberação de hormônios que inibem ou até mesmo bloqueiam a ação inflamatória e ajudam na recuperação de lesões. Entre essas substâncias estão o ácido graxo ômega 3, a alicina (alho), a antocianina (encontrada em uvas, cerejas, amoras) e a vitamina C. Por outro lado, as carnes gordurosas, o açúcar em excesso, o fast-food e as guloseimas aumentam a inflamação no organismo, que é potencializada pelas “gorduras ruins” (trans e saturadas) usadas no preparo e no processamento destes alimentos.

Muitos alimentos podem ser incorporados à rotina alimentar, pois acrescentaram inúmeros benefícios ao seu organismo, além de ajudarem a controlar os fatores de risco para a reincidência do AVC.

Alimentos que evitam a reincidência do AVC

• Peixes de água fria e profunda: fontes de proteína e de ômega 3
• Hortaliças verde-escuras: são ricas em nutrientes que combatem a inflamação e os radicais livres
• Hortaliças alaranjadas: são fontes de betacaroteno, um excelente antioxidante
• Frutas
• Castanhas: castanhas de caju, castanha-do-pará, amêndoas e nozes
• Sementes integrais: são fontes de fibras, vitaminas e minerais

Alimentos que devem ser evitados ou consumidos com moderação

• Alimentos ricos em ômega-6: como os óleos vegetais de soja, de algodão, de milho e de girassol
• Cereais refinados: como pão francês, massas, arroz polido, bolachas de água de sal ou de maisena, fubá e bolo simples
• Carnes suínas e bovinas gordas
• Embutidos: como salsicha, linguiça e salame, conservas com sal
• Leites e derivados integrais
• Refrigerantes
• Bebidas alcoólicas
• Frituras
• Excesso de sal (retire o saleiro da mesa)
• Produtos industrializados também são grandes vilões no desenvolvimento da inflamação devido aos diversos corantes, conservantes, aromatizantes, flavorizantes e tantas outras substâncias químicas.

Cartilha de Orientação sobre o Acidente Vascular Cerebral

O AVC ainda é uma das principais causas de morte em todo mundo, sendo a segunda maior causa no Brasil. 

A eficiência do tratamento do paciente com AVC agudo depende diretamente do conhecimento dos seus sinais e sintomas pela população, da
agilidade dos serviços de emergência, incluindo os serviços de atendimento pré-hospitalar e das equipes clínicas que deverão estar conscientizadas quanto à necessidade da rápida identificação e tratamento, do transporte imediato para o hospital indicado e de unidades de tratamento do AVC.

Se você quer saber mais sobre o AVC, seus sintomas e causas, acesse nosso e-book completo sobre o assunto, clicando aqui.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário