tontura

Você sente tontura? Aprenda a identificar e controlar os sintomas

As causas podem estar relacionadas com o sistema nervoso central ou na forma periférica

A próxima sexta-feira, dia 22 de abril, foi a data escolhida pela medicina para celebrar o Dia da Tontura. A data foi criada pela Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF) para incentivar as pessoas a identificarem o diagnóstico correto e precoce, além de saberem quando é necessário se preocupar.

Algumas pessoas ficam tontas ao passear de banco ou até quando praticam algum esporte. Esse é o caso do Giovanni, que tem sintomas há 35 anos. “Sou atleta, praticante de jiu-jitsu, e até hoje a labirintite me atrapalha. Em alguns movimentos comuns como cambalhotas e quedas, fico muito tonto, com sensação de queda”, desabafa ele.

É importante entender que a tontura é um sinal do corpo, avisando que algo está errado. A condição de tontura pode ser dividida em dois tipos, periférica ou central, como explica o Dr. Jefferson Pitelli, otorrinolaringologista: “As causas podem estar relacionadas com o sistema nervoso central: cérebro, cerebelo e coluna; ou na forma periférica e estar relacionada a distúrbios do labirinto”.

Antes de mais nada, é importante saber diferenciar labirintite e tontura. “[com a tontura] O paciente tem a sensação de que está fora do lugar e perde aquela sensação espacial. A labirintite na verdade é uma infecção do labirinto que é uma causa extremamente rara causada por diversos fatores”, explica o médico, que também atende no Hospital Anchieta de Brasília.

É preciso lembrar que estar tonto nunca é normal e a pessoa deve investigar a situação, pois pode ser um sinal de outra doença. Esse sintoma pode ter a ver com alteração metabólica, de glicemia, de tireóide, de pressão, distúrbio metabólico, causas alimentares, como uso de cafeína, doces e carboidratos.

“Quando o paciente apresentar o quadro de sensação de movimento do corpo, é interessante que ele procure uma assistência médica e que investigue. Nos casos, por exemplo, de acidente vascular cerebral (AVC), é importante que se faça e se trate para evitar uma complicação maior para que o paciente não tenha sequelas e seja feito um tratamento precoce”, explica a neurologista Dra. Jane Lúcia Machado.

Controlar os sintomas não é algo rápido, de acordo com o médico otorrino, mas o primeiro passo é identificar a causa da tontura, só assim é possível descobrir o tratamento correto. “Apesar disso, a sensação de tontura pode ser aliviada com medicamentos ou com alguns exercícios que a gente chama de reabilitação vestibular, que é como se fosse uma fisioterapia do equilíbrio que só o médico vai conseguir identificar e indicar esse tratamento”, explica.

Vale lembrar que outras opções para evitar os sintomas são hábitos saudáveis, como manter uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos, diminuir o consumo de cafeína, bebidas alcoólicas e o uso do cigarro.

Link da Matéria: Clique Aqui

Fonte: Jornal de Brasília

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário