automedicação

Por que a automedicação é perigosa para a saúde?

Desde sempre, muitas pessoas acabam realizando a automedicação sempre que sentem que algo não está bem. Em tempos de pandemia, essa situação tem piorado muito.

Normalmente, com a mudança do tempo, surgem algumas enfermidades respiratórias e os espirros, coriza e tosse começam. Rapidamente, inúmeras pessoas correm para as farmácias para adquirir antitérmicos, analgésicos, entre outros.

Além desses pontos, é possível afirmar que muitos brasileiros têm o costume de possuir em casa uma caixa cheia de remédios. Mas podemos afirmar que se trata de uma prática muito perigosa à saúde.

E você, possui esse costume? Saiba, a seguir, os remédios mais frequentes na automedicação e os cuidados que deve tomar ao ingeri-los.

Antibióticos e antidepressivos

Todos sabemos que esses tipos de remédios precisam de prescrição médica para que possam ser comprados. Porém, em alguns casos, pode ocorrer de ele já ter sido indicado ao paciente e esse ainda tê-lo em seu armário. Sendo assim, ao menor sintoma, acaba tomando novamente.

No entanto, é preciso lembrar que esses remédios são indicados pelo médico para uma determinada doença. Portanto, apenas o profissional pode afirmar se deve ser tomado em uma nova situação.

Por se tratar de medicamentos mais fortes e com capacidade de causar dependência, não devem ser tomados sem ter a avaliação de um médico. Justamente por isso, a legislação prevê que a receita para estes casos deve ficar retida na farmácia.

Medicamentos com Ácido Acetilsalicílico

São importantes para situações em que o paciente sente dores leves e febre. Porém, em altas dosagens, podem acarretar em uma acidez maior no sangue e, com isso, trazer diversos problemas.

Outro grande fator é que o ácido acetilsalicílico é contraindicado para os casos de pessoas com dengue. Os distúrbios causados podem piorar os sintomas e até levar a óbito. Portanto, o mais indicado é não fazer o uso deste medicado sem a indicação de um profissional.

Paracetamol

Esse é um medicamento muito comum e utilizado para diversas situações, seja como um antitérmico ou analgésico. Ele ajuda com a diminuição das altas temperaturas do corpo e com a dor.

Mas é preciso ter muito cuidado com as dosagens em grande quantidade, pois o paracetamol é metabolizado pelo fígado e uma parte do remédio se transforma em uma substância tóxica, a NAPQI.

Usualmente, o corpo elimina os resquícios dessa substância, porém a alta dosagem pode ocorrer e trazer problemas tanto para adultos quanto para crianças.

Como tomar medicamentos de forma consciente?

Mesmo que seja necessário tomar um remédio sem passar antes em um consultório médico, é preciso ter alguns cuidados para evitar grandes problemas. Portanto, é preciso que:

  • Verifique a validade de todos os medicamentos antes de ingerir;
  • Converse com o farmacêutico para entender a bula e ter certeza de que está tomando a dosagem correta;
  • Se sentir algum efeito colateral mais forte que o comum, procure ajuda médica de forma imediata.
  • Se os seus sintomas forem muito persistentes, vá a uma consulta médica, pois mesmo que sejam problemas comuns, é preciso investigar a fundo;
  • Remédios que necessitam de prescrição médica não devem ser guardados ao fim do tratamento. Mantenha em sua casa apenas aqueles que são vendidos de forma livre.

De forma geral, existem muitos medicamentos que são tomados livremente pelos pacientes. Mas, é preciso ter muita responsabilidade para evitar maiores transtornos.

Os anticoncepcionais são outro tipo de medicação que são comumente automedicados, mas que podem trazer vários riscos para a saúde da mulher. Se você quiser saber mais sobre este assunto, acesse nosso post Contraceptivos podem ser automedicados?

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário