Mais SaúdeNotícias

Especialista do Hospital Anchieta dá dicas para prevenir doenças no retorno do ano letivo, evitar contágio e manter o sistema imunológico forte

Os primeiros dias de retorno escolar são uma mistura da euforia das crianças para rever os amiguinhos e a preocupação dos pais com as possíveis doenças do início do ano letivo. O contágio nas escolas acontece mais facilmente porque a exposição aos micro-organismos passa a ser mais frequente.

Para fortalecer o sistema imunológico é fundamental se alimentar bem e garantir uma dieta rica em nutrientes e vitaminas. Em entrevista, o Endocrinologista e Nutrologista Pediátrico e do Adolescente Dr. Delmir Rodrigues, do Hospital Anchieta, explica que manter o corpo hidratado e fazer visitas periódicas para acompanhar a saúde podem ajudar a prevenir doenças no início do ano letivo.

Nos primeiros dias de retorno escolar é comum as crianças ficarem doentes ou adquirirem alguma alergia. Por que isso acontece?

É comum no período de férias as crianças e adolescentes terem uma rotina diferente a do período escolar. Por isso, a importância de no mínimo uma semana antes adaptar-se quanto aos horários e ajustar o período de sono. Com o retorno das atividades, o contato com outras crianças propicia a exposição a micro-organismos (bactérias e vírus) que causam doenças.

Como os pais devem agir para prevenir que os filhos não adoeçam na volta às atividades escolares?

Os pais devem orientar e estimular uma alimentação balanceada e adequada a idade, rica em todos os nutrientes, priorizando a hidratação. Tentar consultar um pediatra antecipadamente, para avaliação da saúde da criança, bem como o dentista. Atentar para a atualização do cartão de vacinas e, caso o filho esteja doente, comunicar a escola e postergar o retorno do mesmo, evitando a exposição com quem divide o mesmo ambiente.

Quais alimentos são mais recomendados para manter a imunidade alta das crianças?

Não existem alimentos específicos para melhora da imunidade. Recomenda-se uma dieta balanceada, com muitas frutas e saladas e priorizar a hidratação. Evitar alimentos industrializados em excesso.

O que a escola pode fazer para evitar o contágio entre os alunos? Por exemplo, incentivar a lavar às mãos quando chegam à escola.

A escola pode estimular e orientar a higienização correta das mãos, bem como propiciar ambientes adequados, com boa iluminação e arejado.

Qual dica o senhor daria para os pais de primeira viagem e que estão matriculando seus filhos agora na escola? Como, por exemplo, crianças com um ano de idade e que estão indo para a creche pela primeira vez. Além das vacinas estarem em dia, quais outras medidas são importantes?

O desenvolvimento da imunidade do ser humano se completa no final da primeira da infância. O contato muito precoce com ambientes e aglomerações pode propiciar uma incidência maior de doenças. Atentar para sinais de gravidade como tosse produtiva, febre de difícil controle e vômitos e diarreia, com risco de desidratação. Sempre que necessário procurar atendimento com pediatra.

Os pais de primeira viagem, muitas vezes, ficam com medo dos filhos pegarem alguma doença e evitam diversas situações, como creches e atividades infantis. O que o senhor acha disso?

Muito se propagou na última década a “Teoria da Higiene”, onde acreditava-se que quanto menos exposta a um ambiente com micro-organismos em excesso, a criança ficaria menos doente. Hoje tem-se conhecimento que essa exposição é benéfica, desde que não seja em excesso. Propicia um desenvolvimento adequado da imunidade, evitando-se doenças graves.

 

Outras dicas de higienização

– Lavar as mãos antes e após usar o banheiro,

– Lavar as mãos antes e depois das refeições

– Higienizar as mãos com álcool em gel, sempre que necessário

– Ao tossir ou espirrar, tentar cobrir a boca ou nariz com o antebraço para evitar disseminar partículas no ar

– Evitar roer as unhas e levar às mãos à boca

print