Mais SaúdeNotícias

Especialistas do Hospital Anchieta alertam para os cuidados e formas de prevenir o câncer de próstata.

Novembro é o mês de conscientização em relação à saúde do homem, em especial para a prevenção ao câncer de próstata. De acordo com um levantamento do Instituto Nacional do Câncer (INCA), são estimados mais de 68 mil novos casos da doença em 2018. No Distrito Federal, a estimativa é de 78,14 casos para cada 100 mil homens.

Para o oncologista do Hospital do Câncer Anchieta, Dr. Marcos França, ainda existe muito preconceito por parte dos homens quanto à realização do exame de toque retal. “Este exame é uma das maiores armas que temos para descobrir precocemente o câncer de próstata, além de ser rápido, confiável e de baixo custo”.

O que é?

A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra masculina. “O câncer acontece quando há uma multiplicação anormal de células da próstata. Se não for descoberto na fase inicial, essas células podem se espalhar para outros locais como ossos, os gânglios do abdômen, fígado e pulmão. Por isso a importância do diagnóstico precoce”, alerta o urologista do Hospital Anchieta, Dr. Rafael Maurmo.

Na fase inicial da doença, muitos pacientes não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata: dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite. Na fase avançada, o câncer pode provocar sangramento urinário, dores ósseas, inchaço no abdômen e nas pernas, podendo prejudicar o funcionamento de alguns órgãos como a bexiga, os rins e a parte final do intestino. A maioria dos cânceres de próstata não causa sintomas até que atinja um tamanho considerável. Por isso a importância de se buscar o urologista rotineiramente.

Diagnóstico

“O diagnóstico do câncer de próstata pode ser feito a partir de dois exames básicos: o toque retal, para avaliar o volume da glândula e a presença de nódulos suspeitos e o exame de sangue da próstata (PSA). Dependendo do resultado desses exames, pode ser necessária a realização de uma biópsia da próstata para a confirmação diagnóstica”, explica o urologista.

Tratamento

De acordo com o especialista Dr. Rafael Maurmo, a escolha da modalidade de tratamento depende do estágio da doença e do perfil do paciente, devendo ser discutidas particularmente.

– Cirurgia: utilizada para pacientes que tem câncer contido na próstata, ou seja, que ainda não se espalhou pelo organismo. O procedimento retira toda a próstata e estruturas próximas como as vesículas seminais.

– Radioterapia: Radiação ionizante (fótons) é utilizada para matar as células cancerosas da próstata.

-Terapia hormonal: a testosterona (hormônio masculino) está relacionada ao crescimento do câncer de próstata, sendo que o bloqueio da testosterona ajuda no controle da doença. Tal bloqueio pode se dar através da retirada dos testículos ou por meio de medicações injetáveis que bloqueiam a produção da testosterona no organismo.

-Quimioterapia: consiste no emprego de medicações antineoplásicas (agentes quimioterápicos) que agem destruindo as células do câncer. Geralmente indicada em casos avançados da doença.

Para o oncologista Dr. Marcos França, nos últimos anos, os novos tratamentos têm apresentado eficácia contra o câncer de próstata. “Novos medicamentos mostram outras maneiras para controlar a doença, bem como foi evidenciado que medicamentos já presentes para tratamento do câncer de próstata no país pode atuar em diversas outras situações da doença. Novos tratamentos com o uso da Medicina Nuclear também têm se mostrado eficaz para o controle da doença. Alem isso, avanços na técnica cirúrgica, como a cirurgia robótica, mostra que os tratamentos podem ser mais eficazes e com menor chance de efeitos colaterais”.

Cuidados

Para diminuir os riscos do câncer, os médicos aconselham que os pacientes mantenham uma dieta balanceada, rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais e com menos gordura, principalmente as de origem animal. Além de ter uma alimentação equilibrada, é indicado fazer pelo menos 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar.

“A recomendação é a realização do toque retal e a dosagem do PSA a todos os homens acima de 50 anos. Para aqueles com história familiar de câncer de próstata (pai ou irmão) antes dos 60 anos, os especialistas recomendam realizar esses exames a partir dos 45 anos”, informa França.

print