Feriado prolongado da Semana Santa é época em que as pessoas consomem mais peixes, como o bacalhau, que se tornou uma das opções favoritas dos brasileiros para o período festivo. Mas, assim como aumentam as vendas do bacalhau, crescem também os casos de pessoas que dão entrada no pronto-socorro engasgadas com espinhas de peixes.

“Essa época do ano a incidência aumenta muito por conta do consumo maior de peixes durante a Semana Santa. É mais comum adultos passarem pela situação, porque as crianças, muitas vezes, não comem peixe pelo receio”, explica a otorrinolaringologista do Hospital Anchieta, Dra. Larissa Vilela.

As receitas caseiras de comer pão, farinha, e até mesmo beber água devem ser evitadas. “Quando alguém engasga com uma espinha de peixe e ela fica alojada na garganta deve-se procurar imediatamente um pronto-atendimento de Otorrinolaringologia. A manipulação pelo paciente pode dificultar a retirada no pronto-socorro”, acrescenta a especialista.

O esôfago é o órgão que mais pode ser prejudicado, dependendo do tamanho e formato da espinha. “Na maioria das vezes a remoção é feita no próprio consultório, mas pode ser necessário também um procedimento cirúrgico, em casos mais graves”, conclui Dra. Larissa Vilela.

No atendimento no hospital serão feitos exames endoscópicos para verificar a gravidade do problema e a melhor forma de remoção.

Dicas para evitar um susto

– Tenha muita atenção à estrutura do peixe que vai comer

– Mastigue bastante antes de engolir e coma devagar

O que fazer caso engasgue?

– Manter a calma

– Não ingerir nada após engasgar

– Não empurrar a espinha com alimentos duros

– Procure imediatamente um médico em caso de muita dor, asfixia ou se cuspir sangue