A Instituição é certificada por excelência pela terceira vez.

IMG_3150

Nesta quinta-feira (16/2), o Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital Anchieta recebeu, pela terceira vez, o credenciamento Padrão Ouro da Rede Global de Bancos de Leite Humano 2017. A Instituição recebeu o reconhecimento por uma série de indicadores de qualidade, que vão desde a coleta até a distribuição do leite materno.

O credenciamento e a definição dos critérios exigidos são coordenados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Ministério da Saúde. O objetivo é verificar o grau de conformidade que o BLH atinge na operação do Sistema de Informação da rede. O Anchieta chegou ao nível máximo pelos serviços que presta na coleta, processamento, armazenamento e distribuição do leite. Além do processo e da estrutura que possuem o Banco de Leite, ainda foi avaliada a capacitação dos colaboradores.

A neonatologista do Hospital Anchieta, Mariana Palhares, destacou a importância do trabalho dos bancos de leite. “O leite humano é precioso principalmente para os recém-nascidos prematuros, internados em UTINs, dando a eles a oportunidade de receber um alimento completo e próprio para a idade. O Distrito Federal tem o maior volume de leite doado proporcionalmente pelo número de habitantes. Em números absolutos, perde apenas para o estado de São Paulo. É uma marca fantástica, digna de comemoração e de orgulho”.

De acordo com a médica, a iniciativa do Hospital Anchieta, como apoiador e incentivador do aleitamento materno é louvável. “Pelo terceiro ano consecutivo conseguimos o certificado de padrão ouro do banco de leite. Este reconhecimento não seria possível sem o trabalho maravilhoso de toda equipe envolvida e das mães doadoras”.

  • Juliana Nascimento

    Parabéns a equipe, meu filho nasceu no hospital Anchieta em outubro de 2016 e ficou na utin e sinceramente o padrão ouro desse hospital vai da recepção a equipe de médicos, enfermagem é demais profissionais que cuidam com tanto amor e dedicação dos bebês.
    Lembro sempre com carinho dos dias difíceis que passei pois tinham pessoas preparadas e que dão o melhor. Um abraço a Edição que trabalha no banco de leite e me ajudou muito também.